Marchas 2015: Sustos 2015

0

“Sustos 2015”

Os sustos na fazem nada.
C’as alzebêras vazias,
Não são menes ca ninguém
Não são menes ca ninguém.
Só querem é fotografias.
Pegam carrêras em sêque.
E na pagam a barquêre
Arrebentem com o Facebook
Prometem sem ter dinhêre.
Ai que Sustos inganadoires
Passeiam p’ toda a parte
Diz que tá o barco virade
Ma na larguem o retrate
E sa companha come no même prate,
Se levam o sofá e uma rua ó desbarate,
Tiras um retrate, tiras um retrate.
Se barres a rua, sem sair do arrebate,
Se pintas um muro e tapas um buraque,
Tiras um retrate, tiras um retrate.
E tiras um retrate e tiras um retrate.
Letra: À Mó dos Sustos
Música: Guilherme Azevedo
Canta: Hugo Piló
Coro: Miguel Ângelo



  • PARTILHA!