“Os Bicicletas” e “As Trotinetas” saiem à rua este Sábado!

4
É já neste Sábado que as ruas da Nazaré se vão encher de Bicicletas e de Trotinetas, animando, colorindo e enchendo de folia as gentes da Nazaré. Mas afinal, quem são estes grupos?

“Os Bicicletas”

Foi no ano de 1974 que foram fundados. Tudo começou com um grupo de 20 amigos, que se encontravam sempre na Casa “Aleluia”, numa cave a que chamavam “o Porão”. A condição era no Sábado Magro (uma semana antes do Sábado de Carnaval) irem todos almoçar fora juntos à Srª da Vitória indo de … bicicleta. Segundo os fundadores, o objectivo para além do convívio de todos os membros era também “haver mais um dia de Carnaval”, fora os 5 dias (Sábado, Domingo, Segunda, Terça e Quarta).
Dantes não havia um grupo de “Bicicletas” encarregues da organização, mas a cada ano o número de membros aumenta (actualmente 250), de modo a que é necessário haver uma comissão que oriente tudo. A organização é constituída por 6 elementos, sendo 2 deles fundadores dos “Bicicletas”. Todos os anos após o almoço a organização do mesmo ano escolhe a organização do ano seguinte.
Devido ao número crescente de membros deste grupo, resolveu-se adoptar uma “fardamenta” comum. Outrora, os “Bicicletas” iam vestidos “à troncage”, ao contrário dos dias de hoje, em que para não se gastar tempo e dinheiro devido aos fatos, a “fardamenta” conjuga 2 elementos nazarenos, dos quais o traje do pescador e da mulher nazarena, sendo constituída pelo típico barrete, camisa à pescador e “xirôlhas”, a saia branca e a casaca preta.
Este ano, o itinerário dos Bicicletas começa com o pequeno-almoço pelas 11h no “Aleluia”, seguindo-se de uma volta à Nazaré, a viagem de elevador até ao Sítio para mais um abastecimento. De seguida irão passar pela Cooperativa, rumo ao Largo do Cemitério na Pederneira, onde irá haver novamente mais um abastecimento. Depois o almoço no restaurante “Arte Xávega”, que durará até ao final da tarde. É então dado a cada “Bicicleta” uma lembrança em cerâmica feito com o tema da Nazaré ou até mesmo os “Bicicletas”.
A acompanhar e a liderar o “desfile dos Bicicletas” vai sempre um atrelado que transporta as bebidas e os elementos que não sabem andar de bicicleta.
Em relação à marcha deste ano, a letra é de Alfredo Monderrei (habitual letrista das marchas), a música de Porfírio Laborinho e a voz de Nuno Estrelinha, que noutros tempos foi protagonizada pelo “Tó-Cá” Midões.


“As Trotinetas”


Fundadas em 2002, as Trotinetas são um grupo que é somente constituído por mulheres, à semelhança dos “Bicicletas”. Surgiram após uma viagem de regresso do Rancho Tá-Mar, onde algumas mulheres cujos maridos pertenciam aos “Bicicletas” não gostavam de “ficar em casa” nesse dia e então resolveram criar também elas um dia mais “de Carnaval”. Na estreia em 2002, as Trotinetas eram constituídas por 80 elementos. Agora, são constituídas por 300 elementos.
A concentração começa na Praça Sousa Oliveira, onde tomam o pequeno-almoço. Logo depois, as Trotinetas viajam pela Rua Sub-Vila, passam pela Marginal e vão para o elevador até ao Sítio. De seguida vão para a “Casa Pires”, onde tomam um “aperitivo”, antes de viajarem novamente para a Nazaré, mais propriamente para a Praça Manuel de Arriaga, onde almoçam ao ar livre. Então, dão uma volta à Nazaré e dirigem-se para o Barra Bar, onde lancham. O jantar é depois no Restaurante São Miguel, onde depois cada “Trotineta” recebe uma lembrança.
O fato muda de ano para ano, mas este ano o tema das “Trotinetas” é o “Tcharam … nesta data querida”, comemorando os seus 10 anos de existência. Em todos os fatos estão também presentes alguns símbolos da Nazaré, nomeadamente a algibeira, e os “colotes”. Quem trata da organização deste mesmo grupo são as fundadoras do grupo, cerca de 5 mulheres.
Quanto à marcha das “Trotinetas”, a letra é de João Veríssimo, a música de Porfírio Laborinho e a voz de Zé do Aníbal e João Veríssimo.




  • PARTILHA!